Notícias

Entenda a prisão do deputado Daniel Silveira, a decisão do Supremo e o que acontece agora na Câmara

O deputado federal do PSL foi preso, nesta terça (16), após divulgar vídeo com ataques a ministros do STF

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), preso na noite desta terça-feira (16) por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, após divulgar vídeo nas redes sociais com ataques à Corte, terá agora a prisão analisada pelos plenários do STF e da Câmara dos Deputados.


Silveira é alvo de dois inquéritos na Suprema Corte: um apura atos antidemocráticos e o outro, fake news. O ministro Alexandre de Moraes é relator de ambos os casos, e a ordem de prisão contra o deputado bolsonarista foi expedida na investigação sobre notícias falsas.


PF prende deputado Daniel Silveira, do PSL, que postou vídeo contra ministros do Supremo Preso, deputado Daniel Silveira diz que Moraes não vencerá "queda de braço"


Ao ser preso, o deputado do PSL voltou às redes sociais: "Polícia Federal na minha casa neste exato momento com ordem de prisão expedida pelo ministro Alexandre de Moraes". Pouco depois, o parlamentar postou um vídeo: "Neste momento, 23 horas e 19 minutos, Polícia Federal aqui na minha casa, estão ali na minha sala".


Quando e por que o deputado foi preso?

Silveira foi preso em Petrópolis (RJ) e seria encaminhado à Superintendência da PF no Rio de Janeiro, no centro da capital fluminense.

De acordo com a decisão, chegou ao conhecimento do STF nesta terça o vídeo publicado pelo deputado em que ele "durante 19 minutos e 9 segundos, além de atacar frontalmente os ministros do Supremo Tribunal Federal, por meio de diversas ameaças e ofensas à honra, expressamente propaga a adoção de medidas antidemocráticas contra o Supremo Tribunal Federal, defendendo o AI-5".

O Ato Institucional nº 5, de dezembro de 1968, marcou o recrudescimento da repressão na ditadura militar no Brasil.

Qual o teor do vídeo que motivou a prisão?

O deputado comenta no vídeo a manifestação do ministro Edson Fachin, que havia criticado na segunda-feira (15) a tentativa de interferência de militares no Poder Judiciário. Na filmagem que levou à sua prisão, Silveira usa palavras de baixo calão contra Fachin e outros ministros do Supremo, acusa-os de vender sentenças e sugere agredi-los.


O que mais decidiu o ministro do STF?

Moraes, ministro-relator no STF, também determinou que o YouTube seja comunicado para providenciar o imediato bloqueio do vídeo em que Silveira ataca a corte, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. A PF deverá preservar o conteúdo da gravação.

Decisão de Moraes será submetida ao plenário do Supremo?

Sim, já que a ordem do ministro é uma decisão liminar (provisória). Por isso, será submetida aos demais ministros da corte. O presidente do STF, ministro Luiz Fux, pretende levar o caso ao plenário nesta quarta-feira (17).


A decisão da prisão também passa pela Câmara?

A prisão é em flagrante e inafiançável, mas ela também deverá ser avaliada pelos deputados e será levada à confirmação pela Câmara, em plenário. Os deputados podem derrubar a ordem, com quórum de maioria simples. Moraes já determinou que o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), seja comunicado sobre o caso para a adoção das providências cabíveis.


O que Athur Lira já disse sobre o caso?

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) pediu "serenidade" após a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) e disse que se guiará pela Constituição no caso. Nas redes sociais, Lira disse que a Casa "não deve refletir a vontade ou a posição de um indivíduo, mas do coletivo de seus colegiados, de suas instâncias e de sua vontade soberana, o Plenário".


Fonte: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/politica/entenda-a-prisao-do-deputado-daniel-silveira-a-decisao-do-supremo-e-o-que-acontece-agora-na-camara-1.3048281

10 visualizações0 comentário