top of page

Notícias

Guaíba sobe 12 cm em 3h e pode bater novo recorde histórico



O nível do Guaíba, em Porto Alegre, ultrapassou, nesta segunda-feira (13), a marca histórica de 1941. Pela segunda vez ,até então o ano em que houve a pior cheia registrada pela Capital. Com a volta da chuva e a elevação de rios que desembocam na Capital, o lago chegou a 4,89 metros às 10h. A tendência é que suba mais.


A primeira vez havia sido em 3 de maio, quando atingiu 4,77 metros, um centímetro a mais do que a marca até então recorde de 83 anos atrás. A água subiu mais e chegou até 5,33 metros dois dias depois, o nível que é, agora, o mais alto da história de Porto Alegre.

Com cota de inundação de 3 metros, o lago transbordou e a água avançou sobre a cidade, inundando as regiões Norte, Sul e Central da Capital. O aeroporto Salgado Filho e a estação rodoviária, por exemplo, foram inundados, além de mais de 4 mil imóveis, obrigando milhares de pessoas a sair de casa.


Imagem de drone mostra avião em meio a alagamento no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, no dia 7 de maio de 2024 — Foto: Wesley Santos/Reuters


Depois, o nível começou a descer e, no sábado (11), baixou até 4,57 metros, o menor nível desde a cheia.

No entanto, o retorno da chuva fez com que o Guaíba voltasse a subir. Às 7h desta segunda-feira (13), a régua da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) registrava 4,77 metros. Às 10h15, a medição mais recente, registrou 4,89 metros.


Conforme o Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH), a perspectiva para esta semana aponta para uma cheia duradoura do Guaíba, e repique com nova elevação dos níveis para acima dos 5 metros – podendo chegar a 5,5 metros.

Ainda conforme o IPH, a tendência é que o lago leve ao menos 30 dias para voltar ao nível abaixo da cota de inundação.


Motivo das cheias

O motivo das cheias foram as chuvas que não deram trégua ao longo de dias sobre todo o Rio Grande do Sul. Bacias hidrográficas formam um “funil” e a água em grande quantidade que escoa das bacias dos rios Taquari, Caí, Pardo, Jacuí, Gravataí e Sinos, que também atingiram níveis recorde, deságuam no Guaíba, sobrecarregando o lago.
Além disso, ventos que sopram no sentido sul do litoral para o continente, empurram a água da Lagoa dos Patos, na Região Sul do estado, no sentido contrário, o que contribui com as inundações no Guaíba.



Fonte: G1


3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page