top of page

Notícias

Presidente deve interagir com o povo e não com a Polícia Federal, diz Doria




O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta 2ª feira (27.abr.2020) que o presidente Jair Bolsonaro deveria interagir com o povo e não com a Polícia Federal. O governador pediu que a organização seja respeitada.

“A PF é nacional, não é pessoal nem familiar […] Nós não devemos ser condescendente nem com os companheiros nem com os amigos. O presidente do Brasil deve interagir com o povo e não com a Polícia Federal. Interferir é crime”, disse o governador.

Doria subiu o tom contra o presidente Bolsonaro depois que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro pediu demissão na última 6ª feira (24.abr.2020) e disse que Bolsonaro queria alguém “de sua confiança na PF” para que ele pudesse ligar e colher informações sobre as investigações. Leia a íntegra do discurso de demissão de Moro.

A rusga entre Doria e Bolsonaro cresce dia a dia. As duas autoridades protagonizaram em março episódios onde discordaram publicamente sobre o isolamento social.

Doria adotou, de início, o isolamento social em São Paulo e defende cautela na reabertura. Bolsonaro passou a enfatizar os efeitos negativos da quarentena na economia e a defender a retomada das atividades. Os 2 discutiram publicamente durante reunião do presidente Bolsonaro com governadores em 25 de março.

O governador de São Paulo fala com a imprensa sobre as novas medidas no combate à covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, no Palácio dos Bandeirantes.



SITUAÇÃO DE SÃO PAULO

Doria anunciou que o Hospital das Clínicas recebeu R$ 24 milhões de doações de empresas par oferecer mais 100 leitos de UTI (Unidade Intensiva de Tratamento).

O governador também disse que a taxa de isolamento de São Paulo foi de 52% nesse sábado (25.abr) e 58% no domingo (26.abr). De acordo com o governador, 20 cidades de São Paulo tiveram mais de 60% de isolamento.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse que a taxa média de ocupação de leitos de UTI na cidade de São Paulo é de 70%. O tucano também disse que não há chance de abertura de comércio para o dia das mães. “Sem nenhuma chance, a gente continua com a quarentena. Faço inclusive 1 pedido para que as pessoas denunciem o comércio não essencial aberto que denunciem no 156. Nós estamos com 2 mil fiscais voltados para isso. Muito mais importante do que o comércio do dia das mães é a proteção à vida”, disse.

O governador Doria havia cogitado a possibilidade de adiar para agosto as comemorações do Dia das Mães, mesmo período quando é comemorado o Dia do Pais. A data é comemorada no 2º domingo de maio. É o 2º período de maior percentual de vendas do comércio. Fica atrás apenas do período de Natal.


NOVO MINISTRO DA SAÚDE

Ao ser questionado, o secretário estadual de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann, disse que ainda não teve qualquer contato com o novo ministro da Saúde Nelson Teich. O novo chefe da pasta assumiu em 17 de abril no lugar de Luiz Henrique Mandetta.

Germann também informou que os testes contra coronavírus hoje estão zerados e não há fila para realização de exames.


fonte : poder 360

5 visualizações0 comentário
bottom of page